(11) 2626-6000

Nesta semana, foi falado sobre o FGTS para pagar empréstimo consignado, após o anuncio do Ministro da Fazenda Nelson Barbosa da medida provisória 719. Esta medida provisória poderá possibilitar ao trabalhador usar 10% do saldo do FGTS. Também poderá ser usado o valor integral da multa decisória para quitar o empréstimo consignado em caso de demissão.

O Empréstimo Consignado para os trabalhadores de carteira assinada, os chamados “CLT”, já existe há muitos anos. A maioria dos Bancos atualmente fazem, mas as exigências são tantas que é para poucos.

FGTS

Participei de inúmeras reuniões e já recebi centenas de roteiros operacionais de cadastro de empresas para empréstimo consignado. Na grande maioria das vezes, bateu na trave. No entanto, as exigências eram e ainda são muito grandes. Atualmente, os bancos não cadastram empresas que tenham menos de 300 funcionários. Hoje em dia, com a queda da atividade industrial e o mercado Brasileiro ser altamente voltado para o comercio e prestação de serviço, é complicado atender uma empresa com um porte deste. São poucas no Brasil, afinal de contas, o brasileiro é um povo empreendedor. Os mais comuns são micro e pequenas empresas.

FGTS x Empréstimo Consignado – O que muda?

Muita coisa muda com a possibilidade de oferecer uma garantia como o FGTS. Contudo, um dos principais problemas do consignado para CLT é o calote.

Quando o cliente se desliga da empresa, vira uma verdadeira bagunça. Nem o cliente e nem o Banco sabiam como cobrar as parcelas.

Recebi diversos emails de clientes CLT que se desligaram da empresa e queriam pagar, mas o banco não sabia nem como receber.

Pode até parecer estranho, mas quem já viveu isso pode garantir que era e ainda é um problema. É muito pior na maioria das vezes, pois o ex-funcionário só se dava conta quando via seu nome negativado.

Problemas a serem superados

Debitar da folha de pagamento ainda é um dos maiores problemas encontrados.

Na hora de fechar um contrato de desconto com uma empresa, muitas empresas simplesmente não querem fazer a gestão da folha ou até mesmo terceirizam o RH. Muitas vezes, submetem o funcionário a terrível exposição no seu ambiente de trabalho.

Outro problema que enxergo é a falta de interesse da parte dos Bancos. Esta bola foi cantada há muitos meses atrás e, até agora, nenhum banco falou nada a respeito.

Há somente reuniões desencontradas com inúmeros pontos de interrogação. Para quem conhece bem o sistema financeiro sabe que banco no Brasil faz só o que quer e só põe a mão para ganha muito.

No meu entendimento, o modelo de empréstimo consignado adotado hoje para servidores e aposentados não funciona para CLT. O desconto para dar certo, deve ser feito em conta e não em folha.

Somente desta forma o cliente poderá negociar com o Banco sem sofrer constrangimento ou depender da administração da folha de pagamento de sua empresa.

Hoje no Brasil, emprego é igual família; você não escolhe é escolhido. Nem sempre a empresa que te contratou terá condições em administrar um desconto em folha.

Juros Maiores em Produtos de Mercado

O que me entristece muito é que hoje quem faz o chamado débito em conta, deita e rola em cima de seus clientes. Não existe regra e nem limites.

Existem financeiras cobrando até 22% ao mês e ninguém fala nada. O Banco Central, por exemplo, fecha os olhos e deixa o coro correr solto. Se fosse possível o empréstimo consignado com desconto em conta e com a garantia do FGTS, acredito que mudaria muita coisa.

Outra recomendação é que se faça a reserva do fundo garantidor sobre o FGTS, assim como é feito hoje uma alienação fiduciária ou hipoteca. Como a gestão do FGTS é da Caixa, seria interessante criar um mecanismo que vincule o PIS á dívida.

Tal medida daria mais segurança às instituições financeiras e possibilitaria abrir novos horizontes.

Nem tudo são Flores

Um dos maiores problemas enfrentados hoje é o auto grau de endividamento da família brasileira. Tem que ser muito bem discutido sobre qual será o juros cobrado.

O Banco Central tem que olhar para esta modalidade de crédito com muito carinho e atenção. Contudo, será necessário criar regras rígidas para evitar que seja a nova “Bolha” dos próximos anos.

A iniciativa é boa, mas necessita de grandes mudanças e muita cautela no meu entendimento.

Vejo hoje a necessidade de uma grande transformação na cultura de cobrança neste país. Dar a possibilidade do cliente poder negociar suas dívidas de forma coletiva.

É uma dificuldade enorme pagar as dívidas. Muitas vezes o cliente até tem o dinheiro, mas a burocracia é tão grande que fica praticamente impossível pagar.

Ter crédito é muito bom mas poder quitar ou trocar juros maiores por juros menores. No entanto, é algo que deve ser amadurecido no mercado.

Faça a Escolha Certa

Sou um dos pioneiros no empréstimo consignado aqui no Brasil e vejo a proposta com bons olhos, apesar de muitas dúvidas e ressalvas!

Mas é um começo, por isso, ao ter acesso ao empréstimo consignado faça a escolha certa. No entanto, só faça um empréstimo se houver real necessidade. Crédito é bom, mas só se souber usar.

Você sabia que o Portal Consignados é especialista em empréstimo consignado?

Com mais de 17 anos no Mercado de Empréstimo Consignado e com uma equipe treinada para lhe auxiliar na melhor decisão, no entanto o Portal Consignados trabalha em parceria com diversos bancos para lhe oferecer sempre o melhor negócio.

Contrate seu empréstimo consignado clicando aqui