fbpx
(11) 2626-6000

Investimentos: Qual a melhor forma de garantir seus investimentos?

Seja em novas empresas, StartUps, fundos de investimentos, ou novos negócios, você sabe qual a forma eficiente de se proteger? A pergunta é simples: Como você consegue garantir judicialmente que seus dinheiros sejam protegidos?

Muito bem meu leitor, idéias, empresas, StartUps, tudo isso existe e rende, rende muito. Muitas vezes, acima ( e muito) de investimentos tradicionais, mas e se a empresa investida não quiser pagar você, como você evita isso?

Podemos lhe ensinar como Fazer seu Dinheiro Render Mais?

Formas de garantir seus investimentos

Antes de tudo, vamos separar as coisas. A palavra investimento é muito grande. As pessoas investem em ideias, investem em um casamento, e investem em fundos de investimento e em empresas, mas nem tudo é investimento segundo o BANCO CENTRAL.

Empresas de investimento, legitimamente, são aquelas que são autorizadas pelo BACEN a investir seu dinheiro, montar carteiras, e obter rentabilidade. E acredite, as empresas de investimento são, por Deus isso é verdade, autorizadas a perder seu dinheiro, e tudo bem, está autorizado (desde que não seja de propósito, entenda isso).

Mas sim, podem perder

Assim como a Bolsa de valores, apesar de plenamente autorizada legalmente a receber capital, é uma certeza que muita gente perde dinheiro, e novamente, tudo bem. Se você escolher a empresa errada, seu dinheiro evapora como água no deserto.

A alternativa contra a perda, são os fundos de renda fixa. Um fundo de investimento renda fixa, como o nome diz, é renda fixa, não há chance de perder, porém, a garantia é de apenas R$ 250 mil reais, isto é, em caso de catástrofe, e você tinha ali, 1 milhão de reais, fique tranquilo que R$ 250 mil irão voltar para o seu bolso. Péssimo para quantias altas, não é verdade? E isso aconteceu recentemente, veja aqui.

Uma outra forma de ganhar dinheiro

Existe uma outra forma de ganhar dinheiro com seu dinheiro, e essa pode ter uma cobertura bem maior, porém não é algo muito divulgado.

Imagine que um empresário precise de R$ 250 mil reais, e pague no banco de juros, mais de 4% ao mês de taxas, e você tem R$ 250 mil reais, quer colocar seu dinheiro para render, mas não quer correr riscos, e não quer aqueles 1% dos fundos de renda fixa. Como resolver isso?

O meio eficiente, é através ou de uma FINTECH, (se você não conhece FINTECH clique aqui), ou melhor ainda, fazendo uma operação de mútuo garantida.

Uma operação de mútuo feneratícia, (esse é o nome, estranho não é?), é um TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL,e segundo a lei, esse tipo de título gera um poder de cobrança astronômico.

Vamos deixar tudo mais simples

Um título executivo, não é um papel com um terno e gravata, e sim um título que pode ser executado. E executar é o que o nome sugere: Mandar para o judiciário cobrar a dívida. Porém o título é EXTRA judicial, e ai que o fica ruim para quem pega seu dinheiro:

Não há julgamento, o que é prometido no título executivo equipara-se a Sentença de juiz. E o juiz manda bloquear o patrimônio do seu tomador, (a pessoa ou empresa que recebeu seu dinheiro e prometeu te pagar).

“Ademais, os títulos extrajudiciais de fato são equiparados às sentenças condenatórias, pois quando analisado o procedimento cognitivo do magistrado nas vias executivas, conclui-se que indiscutivelmente reduzido quando comparado ao do processo de conhecimento.“

Isso, colocado de forma simples é assim: Se você emprestou algo a alguém, investiu em algo, ou alguém te prometeu algo, e existe um título executivo extrajudicial garantindo você, em necessidade, (e o devedor tendo patrimônio), basta uma entrada na execução, ( evidentemente se a pessoa não cumpriu a parte dela), e há imediato bloqueio dos bens da pessoa devedora.

Vale lembrar que a pessoa ou empresa que te deve grana, (ou alguma obrigação), precisa ter patrimônio, dinheiro em conta, imóveis, veículos, ou algo que possa ser bloqueado, (e é penhora online, então é realmente rápido).

Regras do título executivo extrajudicial

Mas calma, existem regras para que seja configurado um título executivo extrajudicial:

São considerados títulos executivos extrajudiciais:

  • Contratos de Mútuo Feneratícios
  • Debêntures
  • Notas Cartoriais
  • Cheques Nominais

Como isso funciona?

Para funcionar, é necessário estar claro no título: O que deve ser feito, ou qual a obrigação do devedor.

Por exemplo, no cheque, há um pagador, (titular da conta), e a pessoa a receber, (o nominado no cheque). O valor a ser pago, (escrito no cheque), e a data a ser paga, (no próprio cheque), o motivo do cheque? Não interessa.

Nas debêntures, alguém empresta dinheiro para uma empresa do tipo Sociedade Anônima de Capital Aberto, que promete fazer um pagamento de juros. Há o tomador, o devedor, o valor expresso, e as datas de vencimento a serem obedecidas. O que causou o não pagamento? Não importa.

Contratos de Mútuo Feneratícios, são similares às debêntures, há um empréstimo em favor de uma empresa, que promete pagar juros, há a especificação de todos envolvidos, valores, datas a serem obedecidas, testemunhas, e todas as exigências legais. O motivo do não pagamento? Não interessa ao juiz.

Então voltemos ao empresário que precisa de R$ 250 mil reais, e digamos que ele tenha imóveis, vários imóveis, e você decide emprestar o dinheiro a ele, e ele de pagar 3% ao mês para você, ao celebrar com ele um modelo de garantia que seja um Título Executivo Extrajudicial,, e caso ele não pague o prometido, todo patrimônio dele é bloqueado, e o juiz ordena PENHORA ONLINE, caso ele não disponha o prometido.

Quais são as regras a serem observadas

A empresa precisa ter em nome DELA (ou de seus sócios), patrimônio, de preferência imobiliário, (porque carros e veículos e valores podem ser transferidos com muita facilidade, já imóveis, além de levar mais de 30 dias para transferir no cartório, ainda tem o ITBI, que é caro,e além disso, por ordem do juiz,a transferência pode ser DESFEITA, entendeu)?

A empresa precisa estar em solo nacional, isto é, empresa brasileira e imóveis no Brasil.

A ideia, o negócio, precisa fazer sentido.

O instrumento (contrato), precisa ter uma validação de cartório ou um certificado digital legítimo, como ClickSign, que é um autenticador com validade jurídica.

Independe estar escrito no contrato quais são as garantias ou não, pois tudo será garantia, mas se o investido disser no contrato o que dispõe em garantia, melhor ainda.

Dessa forma, pouco importa se você vai colocar seu dinheiro em uma FINTECH, um posto de gasolina, uma lotérica, ou emprestar através de um mediador autorizado, suas garantias reais e jurídicas protegem seu dinheiro, (e rentabilidade), em 100%, e você protegerá seu rico dinheirinho.

E caso ache estranho investir seu dinheiro DIRETO a uma empresa, ganhando juros, e ache isso ILEGAL, saiba que você está bastante desatualizado.

Autorização do Banco Central

O Banco Central do Brasil, AUTORIZOU o funcionamento das FINTECHS em nosso solo, e sim, você pode emprestar dinheiro para empresas, receber juros, ter garantias reais, e fazer sua vida através disso, evidentemente, elas seguem regras, tais como: Depósito garantidor junto ao Bacen (um dinheiro para garantir eventual quebra), acompanhamento, fiscalização, supervisão, participação de fundos de investimento de direito creditório, e muito mais.

Não sabia, leia essa matéria da Folha de São Paulo, clique aqui..

Por exemplo, um cliente que tenha imóvel, pode fazer um refinanciamento do mesmo, investir, ainda alugar seu imóvel, e criar uma renda com vários níveis de garantias, na minha opinião, garantia acima de investir em fundos, (já que fundos limitam a garantia a 250 mil, se você vai CRESCER, essa garantia é pequena).

Porque múltiplos níveis de segurança?

A Fintech é supervisionada pela CVM, isso é uma ótima garantia, já que a CVM fecha primeiro e pergunta depois, ninguém quer briga com essa instituição.

Existe DEPÓSITO compulsório para garantir a operação, e a CVM define o valor.

Na operação de crédito, tendo um Título Executivo Extrajudicial bem feito, a cobrança e a penhora online é segura contra o devedor.

Você participa dos lucros das operações que dão certo.

Paga muito acima de qualquer banco, renda fixa, ou mesmo atuando na bolsa.

Fazendo isso, você estará colocando seu dinheiro para trabalhar, e não trabalhando pelo dinheiro.

Bem vindo ao novo milênio.

Podemos te ajudar a Viver de Renda

Investimentos Melhor forma de garantir seus investimentos?