O Refinanciamento de Empréstimo Consignado é uma modalidade de crédito aonde você refaz seu empréstimo recebendo de volta parte do que já se foi pago.

No entanto, o refinanciamento é indicado para clientes que não possuem mais margem ou que não podem comprometer mais sua renda com mais uma parcela de empréstimo consignado.

Refinanciamento Empréstimo Consignado na Prática

Muitos clientes de empréstimo consignado tem buscado como alternativa o Refinanciamento para conseguir crédito, contudo, poucas pessoas entendem como realmente funciona e quando se deve optar por esta modalidade de crédito, logo abaixo iremos ilustrar para você na prática e desmistificar este produto.

Digamos que ao refinanciar o valor atual do seu contrato de empréstimo consignado no banco PAN é de R$ 10.000,00 e tenha um saldo devedor de R$ 8.000,00 você ficará com a diferença que no exemplo é de R$ 2.000,00

No exemplo acima resume exatamente como funciona a base de calculo, o valor atual corresponde ao valor liberado correspondente ao mesmo valor de parcela já paga, já o saldo devedor representa os valores que ainda deve em seu contrato em andamento, o valor liberado é a subtração destes dois valores, ou seja, você fica com a diferença.

Desde que haja saldo matemático, a instituição financeira tenha disponibilidade de refinanciar sem restrição de quantidade de parcelas pagas, você pode fazer. Geralmente tem que ter pelo menos 12 parcelas pagas.

O Portal Consignados abre suas portas e deixa seu time de consultores a sua disposição para realizar esta pesquisa, de forma ágil , simples e objetiva. Solicite uma pesquisa conosco sem compromisso!

Critérios e Regras do Refinanciamento

Para se poder refinanciar seus contratos de empréstimo consignado é importante antes observar:

  • Taxa de juros contratada
  • Quantidade de Parcelas pagas
  • Política de crédito da Instituição
  • Margem Consignável Positiva

A taxa de juros contratada em seu contrato em andamento é um referência para calculo, em casos aonde se utilizou uma tabela flexibilizada onde a taxa de juros é inferior a praticada no momento, fica inviável refinanciar seus contratos.

Outro fator bem comum levantado pelos nossos clientes é a quantidade de parcelas pagas. Por convenção estabelece o mínimo de 12 parcelas pagas para que se de um saldo a receber positivo, contudo algumas instituições financeiras trabalham de forma diferente, considerando o saldo matemático nos melhores casos, e nos piores o troco mínimo que varia entre R$ 300,00 a R$ 800,00.

A Política de crédito da instituição nada mais é que as regras estabelecidas para aprovar um refinanciamento, como cada instituição tem a sua fica impossível generalizar, contudo nosso time de consultores estão sempre sendo atualizados e sua pesquisa irá atender a estes critérios.

Outra dúvida bastante comum é ” Preciso ter margem para refinanciar meus contratos”, a resposta é NÃO , contudo precisa estar positiva, ou seja, ela pode estar R$ 0,00, mas nunca poderá estar negativa.

Importante: Esta modalidade de crédito é regulamentada pelo Banco Central do Brasil e atende as normas do convênio e política de crédito da instituição financeira, podendo ter alterações sem aviso prévio.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com